Qual o impacto da pandemia no setor de alimentos?

Confira quais as tendências de consumo durante a pandemia e entenda o que muda no setor alimentício pós Covid-19 e como essa área foi afetada pela pandemia.

Desde do início da pandemia causada pelo novo coronavírus, grandes e pequenos empreendedores estão atentos, planejando novos serviços e buscando compreender como será o futuro da economia e quais serão as tendências pós pandemia, para que possam se sobressair no mercado em um momento tão delicado e manter os seus negócios fortes, estáveis e em crescimento.

Diante de um cenário tão incerto e sem previsões de melhora, o ideal é rever todas as finanças e enxugar os gastos, refazendo todo o planejamento financeiro.

Há ainda, muitas pessoas que têm o seu dinheiro diminuído indevidamente através do saldo aprovisionado, o que torna essa situação ainda mais delicada.

Assim, apesar de prestar um serviço essencial, o setor de alimentos também está sofrendo para se manter forte e muitos microempreendedores estão inovando para fugir das dívidas e restabelecer os seus negócios nesse momento de crise. 

O que é saldo aprovisionado? 

O saldo aprovisionado ocorre quando há a retenção do seu saldo bancário de maneira automática para a quitação de alguma pendência financeira. 

Dívidas existentes com a instituição financeira, cheque especial, contas no débito automático e até mesmo um mandado de penhora judicial ou processos trabalhistas podem fazer o banco “prender” o seu dinheiro, obrigando você a pagar o que deve.

Dessa maneira, os bancos, de maneira ilegal, retém o dinheiro existente na conta-corrente como forma de garantia do pagamento da dívida.

A dor de cabeça em situações como essa é enorme, visto que há casos nos quais o salário inteiro é apreendido. 

O que muitos brasileiros ainda não sabem – e os bancos se aproveitam da desinformação – é que essa prática é ilegal.

Segundo o Superior Tribunal de Justiça (STJ), nenhum banco ou instituição financeira pode reter do salário do correntista, qualquer quantia que seja, para o pagamento de dívidas com a mesma.

Sendo assim, você empreendedor, em um momento de crise econômica generalizada não deve deixar que o seu dinheiro seja subtraído de forma ilegal e precisa ir atrás dos seus direitos para manter o seu salário integral.

O que muda no setor de alimentos 

Diferente de outras demandas por prestação de serviços, como turismo e comércio, o setor de alimentos conseguiu se manter relativamente estável durante o enfrentamento a pandemia do novo coronavírus. 

Por conta da orientação de permanecer em casa daquelas pessoas que não exercem atividades essenciais, a forma de consumir se modificou.

Nos últimos meses as compras realizadas pela internet dispararam, assim como a procura por itens de higiene, limpeza e, claro, alimentação básica. 

Assim, espera-se que no curto prazo o maior consumo seja de alimentos e outros produtos essenciais em meio a crise.

Por isso, diferente de outras áreas, não é esperada uma crise de desabastecimento para o setor alimentício. 

Como a produção agrícola se mantém constante e os transportes continuam funcionando normalmente, a tendência é que os alimentos continuem chegando às prateleiras dos mercados. 

Construção de novos hábitos de consumo 

De maneira geral, desde o início da pandemia, as compras realizadas através da internet aumentaram bastante. 

A busca por alimentos e produtos básicos no E-commerce é uma tendência que pode ser observada no mundo todo.

Além disso, algumas pesquisas indicam o aumento na procura por alimentos de longa duração, além dos itens básicos para o dia a dia. 

O receio da doença e a restrição de saídas à rua por parte do governo corroboram para a criação de novos hábitos na população brasileira e mundial. Apesar da venda nos pontos físicos ter diminuído, o consumo em geral não caiu. Pelo contrário: os clientes estão comprando mais através do e-commerce e isso favorece alguns empreendimentos.

O futuro do consumo de alimentos 

O cenário que enfrentamos atualmente certamente não é algo comum.

Especialistas de diversas áreas já afirmaram que dificilmente o mundo voltará a ser exatamente o que era antes do início da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Uma das mudanças mais esperadas é em relação ao consumo de alimentos.

Os impactos causados pelo Covid-19 no psicológico do ser humano certamente irão influenciar na maneira como iremos escolher a nossa comida daqui para a frente. 

É esperado que, aos poucos, a preferência pelo sabor dos alimentos seja substituída pela preocupação com a composição nutricional e o quanto de poluição foi liberada durante a produção, já que haverá uma maior consciência sócio-ambiental devido a crise na saúde provocada pelo novo coronavírus.

Dessa forma, uma tendência crescente para o setor de alimentos é uma alta procura e, consequentemente, maior produção e comercialização de produtos orgânicos ou de origem mais natural.

Assim, a indústria alimentícia como um todo deve se preparar para essa reestruturação e mudança de hábitos.

Não é possível prever o que irá acontecer com o mundo após a pandemia, entretanto, é possível observar o que estudos e pesquisas apontam.

Sendo assim, as mudanças no setor de alimentos certamente ocorrerão e é necessário estar preparado para atualizar o empreendimento e investir em novas tendências de mercado.

Tagged: , , , ,

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.